Pages Menu
Categories Menu

Publicado por - 23/11/2010

O Barroco na Europa, no Brasil e em Minas Gerais

arte-barroca-12

O Barroco na Europa e no Brasil

 

Significado da palavra Barroco. 

A palavra Barroco é provavelmente de origem portuguesa, significando pérola ou jóia no formato irregular. O termo barroco costuma designar o estilo artístico que floresceu na Europa entre o final do século XVI e meados do século XVIII. O homem barroco é um ser dividido, em conflito, repleto de energia e extremamente místico

 

Como desenvolveu? 

O barroco desenvolveu com características próprias em cada região. Ainda assim, podemos ver nele alguns aspectos gerais comuns a todas as regiões.

A  Arte barroca originou-se na Itália espalhou para outros países da Europa e chegou a América, com características diferentes nos vários países. O barro italiano (séc. XVII, difere muito do Barroco Holandês da mesma época) . Ainda assim temos aspectos comuns às obras desse período: O predomínio da emoção, e não da razão, o acentuado contraste entre tons claros e escuros, que intensifica a expressão dos sentimentos. Os temas são variados: religiosos, mitológicos e na forma de retratos.
A pintura barroca é realista, essa realidade não é só a vida de reis e nobres, mas também a do povo simples.

Características gerais das ESCULTURA BARROCA

Nos gestos e no rosto das figuras apresentadas, a escultura barroca exprime emoções: alegria, dor, sofrimento.

Cena dramática, as formas sugerem movimentos e apresentam efeitos decorativos.

Predominam as linhas curvas, os drapeados das vestes e do uso do dourado; e os gestos e os rostos das personagens revelam emoções violentas e atingem uma dramaticidade desconhecida no Renascimento.

 

O BARROCO BRASILEIRO 

O barroco brasileiro apresenta profundas diferenças regionais. O que justifica isso, já que se trata de um só país?

Um só Brasil, vários Barrocos. A diferença consiste nas variedades das culturas existentes no país. Vária de uma região para outra.
Nas regiões ricas com a mineração e o comércio de açúcar – Minas Gerais, Rio de Janeiro, Bahia e Pernambuco – encontra-se igrejas com talhas douradas e esculturas refinadas. Onde não havia açúcar, nem ouro – São Paulo, as igrejas apresentam trabalhos modestos de artistas menos experientes.
O barroco de uma região pobre: São Paulo
Fundada no século XVI, não teve o mesmo desenvolvimento que outras regiões no período colonial. Hoje há poucas construções barrocas na cidade de São Paulo. A pintura barroca em SP traz traços de simplicidade.

O Barroco – Rio de Janeiro
Contou com artistas portugueses e com um brasileiro em especial: Mestre Valentim, tão respeitado quanto Antônio Francisco de Lisboa, nosso artista barroco mais conhecido e admirado.

O ponto culminante da integração entre arquitetura, escultura, talha e pintura aparece em Minas Gerais, sem dúvida a partir dos trabalhos de Antônio Francisco Lisboa, Manuel da Costa Ataíde. O Mestre Ataíde pintou várias igrejas de Minas Gerais com um estilo próprio e bem brasileiro. Usava cores vivas e alegres e gostava muito do azul.

O Barroco mineiro:
Tem início da arquitetura brasileira.
A arte barroca em Ouro Preto.
A evolução da arquitetura mineira não foi rápida.
Na pintura do Barroco mineiro destaca-se Manuel da Costa Ataíde.
Antônio Francisco de Lisboa ( o Aleijadinho) – O principal escultor do Barroco do Brasil.
Cidade de Congonhas do Campo que abriga seu mais importante conjunto escultório.

No barroco Brasileiro destacam-se dois artistas:
o  representante do barroco mineiro foi o escultor e arquiteto Antônio Francisco de Lisboa também conhecido como Aleijadinho.Sua obras, de forte caráter religioso, eram feitas em madeira e pedra-sabão, os principais materiais usados pelos artistas barrocos do Brasil. Podemos citar algumas obras de Aleijadinho: Os Doze Profetas e Os Passos da Paixão, na Igreja de Bom Jesus de Matozinhos, em Congonhas do Campo (MG).

Outro artista importante do barroco brasileiro: o pintor mineiro Manuel da Costa Ataíde e o escultor carioca Mestre Valentim.
Mestre Valentim – Artista Que Embelezou o Rio de Janeiro. Mestre Valentim era mulato, filho de um fidalgo português e de uma africana. Alguns autores defendem que seu pai o levou a Portugal em 1748, onde teria aprendido escultura, versão que é historiograficamente controvertida.

De volta ao Brasil em 1770, estabeleceu uma oficina no centro do Rio de Janeiro e entrou para a Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos. Realizou vários trabalhos de talha dourada para igrejas cariocas até a sua morte.

FONTE: GRAÇA MELO, Livro: História de Arte.

1 Comentário

  1. Muito bom este tema. Falar da Barroco não só dos paises distantes, mas falar do nosso pais é falar de coisas boas que ele tem para oferecer. O que está faltando são pessoas que buscam falar do que o pais tem de bom por que de ruim já tem muitos “jornalistas” correndo atrás.
    Parabéns.

Deixe uma resposta