Pages Menu
Categories Menu

Publicado por - 9/10/2013

“Meu filho vive no mundo da lua….”

download

Dúvidas que surgem sobre os filhos (as)  que não aprendem, que não prestam atenção nas aulas.

A Psicopedagogia vem falar sobre isso, veja algumas  expressões de grande autores.

 

A criatividade surge do contato e da elaboração da angústia.

 

“Se um aluno “está no mundo da lua”, o problema do professor será ode como trazer a “lua” ao mundo da criança, já que, se quiser expulsara “lua” da aula,

expulsará também o aprendente que há em seu aluno.

Por outro lado, essas “luas” costumam estar habitadas pelas situações mais dolorosas da vida das crianças.

É na leitura de pepitas como essas que as palavras vão atravessando ”metamorfoses muito curiosas. Por momentos, já não é mais uma leitura que pressupõe um certo

distanciamento eu-outro; há um pólus de afeição presente, e o corpo responde em um pulsar alto, tão alto que as palavras liquesceram e a pura emoção ecoa de algum luga rmuito profundo:

“sim, é isto, eu também preciso aprender dessas lindas e dolorosas luas que habitam em mim”!  Alicia Fernández

 

FRACASSO ESCOLAR

Optamos por uma psicopedagogia que permite ao sujeito que não aprende fazer-se cargo de sua marginalização e

aprender a partir dela, transformando-se para integrar-se na sociedade, mas na  perspectiva da necessária transformação

desta. (Sara Paín, 1982)

 

A psicopedagogia vem para explicar também que na fabricação do problema de aprendizagem como sintoma intervém questões que dizem respeito à significação

 inconsciente do conhecer e do aprender e ao posicionamento diante do escondido.

 

devemos pensar em criar as condições para que “esse ambiente facilitador” (D. Winnicott) transforme-se em gerador de potência para a saúde.

Como é possível pensar em criar as condições para que a patologia não se instale ou, uma vez instalada, possibilitar que o saudável possa “ser mostrado” e “fazê-lo andar”?

Deixe uma resposta