Pages Menu
Categories Menu

Publicado por - 4/12/2013

Analise funcional do filme “Bicho de sete cabeças”

gggg

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma breve introdução

A análise funcional é um recurso de extrema importância para o estudo do comportamento. Segundo Moreira e Medeiros (2007) a análise funcional é a investigação das relações entre as respostas de um sujeito aos estímulos do meio.

Especificamente neste trabalho, será feito a análise funcional do filme  “ Bicho de Sete Cabeças“ (BODANZKY, 2000).  Inspirado nos personagens do livro “Cantos dos Malditos”, de Austregésilo Carrano, no qual narrou abusos psiquiátricos dos quais foi vítima na juventude em centros de internação de Curitiba e do Rio. Será analisado o comportamento do estudante Neto (Rodrigo Santoro), que é internado em um manicômio por seu pai, interpretado por Othon Bastos. Bicho de Sete Cabeças é uma tragédia doméstica que fala da intolerância e incomunicabilidade no seio de uma família de classe média e da prontidão dos mecanismos de repressão da sociedade brasileira.

 

Análise do comportamento de Neto

 

             O filme tem dois focos principais: a dificuldade de relacionamento entre pai e filho e a realidade desumana do sistema manicomial brasileiro.  Neto é um adolescente que vive problemas de relacionamento com a família, principalmente com o pai, é de classe-média e vive despreocupado com a vida. Tem um grupo de amigos com quem mantém encontros freqüentes. Com estes amigos, Neto fuma maconha.

 Após ter sido pego pela polícia pichando muros, seus pais começam a se preocupar mais com o filho, e acabam descobrindo que ele fuma maconha, internando-o em seguida num manicômio,para o tratamento de sua “dependência química” onde ficaria vários anos sofrendo traumas e abusos. Esta decisão tomada pela família ocorreu sem que houvesse qualquer diálogo com Neto.

A Análise do Comportamento enfatiza a funcionalidade na compreensão do comportamento, ou seja, em que situação o comportamento ocorre e qual a conseqüência produzida por ele. 

            Em decorrência do medo de perder o controle de seu filho, a internação foi a solução encontrada e dentro de regime manicomial, Neto sente na pele a realidade completamente absurda e desumana em que as pessoas são submetidas em tal regime de forma corrupta e cruel.

                           

No hospital psiquiátrico, o enfermeiro avisa o Neto o porquê de sua internação

 (“seu pai acha que você é viciado”).

 

Tais comportamentos considerados rebeldes pela sociedade e incompreendidos pelo pai leva o jovem a realizar atitudes na busca de emoção e liberdade vividas nesta fase, sendo apoiada pelos amigos, que o influenciavam a emitir determinados comportamentos e posteriormente o uso de drogas.

            Em decorrência da emissão do comportamentos pichar muros, utilizar drogas, emitir respostas comportamentais de rebeldia fez com que o jovem rapaz fosse punido positivamente em relação ao internamento de manicômio   o qual, o garoto recebia maus efeitos, como choques, uso excessivo  de medicamentos.       

            Em contrapartida o jovem era punido negativamente em decorrência do isolamento, algo que na adolescência é muito buscado é a liberdade, no manicômio ele  foi privado.

            Em decorrência deste comportamento punidores positivos e punidores negativos temos:

             S∆   :   R  ->   P+ /  P-

 

A essência da análise de contingências é identificar o comportamento e as conseqüências; alterar as conseqüências para ver se o comportamento muda. Pois é um tipo de experimentação que acontece não apenas no laboratório, mas no cotidiano.

 Pretendemos aqui apresentar algumas contingências presentes no ambiente familiar de Neto.

 

Relação de Neto com o pai: 

Percebem-se contingências aversivas no ambiente familiar de Neto. A cobrança do Pai em relação ao filho era forte. Constata-se uma ampla falta de diálogo e um ideal estabelecido pelo Pai.  Exemplos de falas: “Eu cheguei aonde cheguei, quero ver onde você vai chegar.”  “Isso é coisa de veado “ (fala assim por causa do brinco de Neto.)

Contingências presentes no grupo de amigos de Neto: de esquiva de seu ambiente familiar aversivo. Por outro lado, o comportamento de “sair com o pai”, por exemplo, era punido pelo grupo.  Tudo isso estabelecia e contribuía para a manutenção do comportamento “arredio” de Neto.   Exemplo da fala: “Pô, vai sair com o papai de novo? (amigo de Neto)

NS    ->    UR

Um estímulo que antes era neutro, o fato de ficar em casa eliciava segurança, tranqüilidade logo, um estímulo incondicionado, constantes cobranças do pai promoveu o emparelhamento, o simples fato de ficar em casa eliciava respostas de indignação e raiva.

 

Prováveis variáveis que controlam o comportamento da família de internar Neto:

fica nítido, no filme, que, quando o pai de Neto encontra a maconha na mochila do filho não quer qualquer tentativa de diálogo, de um esclarecimento sobre o que levou o filho a usar maconha, com que freqüência  o fazia, se era apenas esta sustância, etc. Pode se questionar se o fato de o pai não buscar um diálogo poderia ser de esquiva tanto da relação aversiva com o filho (nunca havia se estabelecido uma relação positiva entre os dois), como do estigma de ter um filho usuário de drogas ( seria vergonhoso ter um filho usuário, exigindo uma solução rápida).

 

Contingências presentes na Instituição Psiquiátrica:

 

O filme não fornece indícios se tratava de uma dependência química ou não. De qualquer forma nenhuma avaliação psiquiátrica foi realizada.

Exemplos de falas: “seu pai acha que você é viciado” (enfermeiro). “Eu não sou viciado, você não me examinou.” (Neto) “Se você não tomar o remédio, isso só vai confirmar que você é rebelde e agressivo.”(enfermeiro)

O fato de neto estar indignado por se encontrar internado em uma instituição psiquiátrica o leva a emitir respostas de agressividade desta forma ele é punido positivamente com as ameaças dos enfermeiros do hospital.

 

S ∆  :    R      ->     P+

 

Durante a convivência com outros internos na instituição, Neto conhece Rogério. Com sua experiência ele relata a Neto fatos que fazem com que Neto reflita sobre seu próprio comportamento:

 Exemplo de fala: “Se você brigar com o médico, você leva uma injeção de Haloperidol “ (Rogério)

 

Com isso, Rogério especifica uma contingência: exerça um contra-controle, varie seu comportamento para se esquivar de uma condição aversiva.

 Contingências presentes no ambiente familiar após a saída de Neto do hospital:

 Assustados com o estado do filho, os pais de Neto retiram do hospital. No entanto, as contingências no ambiente familiar continuam as mesmas. Nada modificou em relação pais e filho. Com isso, os comportamentos como permanecer arredio, calado e quieto continuaram a ocorrer, uma vez que os comportamentos são determinados pelas contingências (Skinner, 1953/2000).

 

Contingências presentes na segunda internação de Neto:

 

Em uma festa, ele se envolve em uma briga após beber e ter dificuldades de ereção ao se relacionar com a menina. Ele é levado pelos policiais para outra instituição psiquiátrica. É interessante ressaltar o estigma presente no encaminhamento feito pela polícia: “Ele é meio louco, agressivo, a gente ficou sabendo que ele é meio retardado, já encaminhamos para internação.” (policial avisando os pais sobre a internação de Neto.)

 Neto: começa a seguir as regras sugeridas por Rogério. Apresenta comportamento de liderar o grupo, não toma a medicação, ou seja, tentar entrar em contato com determinados reforços e evitar estimulação aversiva (contra-controle).

 No entanto o pai de Neto o retira da instituição, após tentativa de suicídio  do filho. Neto ao final do filme, mostrou-se bastante triste e marcado por uma história de injustiças. Escreve para o pai as seguintes palavras: “Eu não esqueci o que você fez comigo. Você sempre me disse: “eu cheguei aonde cheguei, quero ver onde você vai chegar.” Eu cheguei aqui, você me fez menor que você.”

 

  

Concluindo

 

No presente trabalho tentou-se buscar nos fundamentos da análise funcional do comportamento a elucidação de comportamentos observados no filme “Bicho de sete cabeças” em especial do personagem Neto.

 A proposta do Movimento da Luta Antimanicomial pode ser considera compatível com as propostas da Análise Funcional do Comportamento. Pois o tratamento, de acordo com este movimento, visa a integração do indivíduo com a sociedade.

Possibilita a aprendizagem de comportamentos necessários na execução de diversas tarefas (trabalho, convivência familiar harmoniosa), além da modificação de contingências responsáveis por comportamentos ditos “patológicos” por familiares e pelos indivíduos que emitem tais comportamentos.

Com a modificação das contingências no ambiente do indivíduo, pode-se chegar a uma intervenção bem sucedida, diferente daquela recebida por Neto.  Dessa maneira, utilizando os pressupostos científicos e objetivos, espera maximizar a compreensão acerca do tema em questão.

O tema possui sua relevância, fazer a pesquisa para desenvolver a proposta solicitada pela professora, o aprendizado das alunas.  Através deste ouve a reflexão de questões vividas no cotidiano como colocado no filme.

É indispensável ao psicólogo o conhecimento de como se realiza uma análise funcional para que após sua formação este seja aplicada de forma adequada.

 

 

 

Referências:

BODANZKY, Laís. Bicho de sete cabeças. Rio de Janeiro: Buriti Filmes, 2000. 1 video-disco (80 min.): NTSC: son., color

MOREIRA,  MB.; MEDEIROS, C.A. Princípios básicos de análise do comportamento. Porto Alegre: Artmed, 2007

SKINNER,  B.F. Ciência e Comportamento Humano. São Paulo: Editora Martins Fontes.  1953/2000

 

 

Deixe uma resposta