Pages Menu
Categories Menu

Publicado por - 27/02/2014

Frases sobre o risco do uso/abuso de álcool e outros

as-vezes-pequenas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Vários autores na área do  uso indevido do álcool e outras drogas  apontam que o consumo de bebida alcoólica ultrapassa gerações, e os prejuízos causados em razão do consumo dessa substância são registrados desde a antiguidade.

O alcoolismo é, sem dúvida, a mais frequente das toxicomanias e a Organização Mundial da Saúde estima que sua prevalência esteja em torno de 13% da população, o que é alarmante

Não há quantidade segura quando se trata da ingestão de substâncias desse porte, porque há “[…] indivíduos que bebem eventualmente, mas são incapazes de controlar ou adequar seu modo de consumo”, trazendo problemas sociais como brigas, falta de emprego etc., físicos (acidentes) e psicológicos

Para os profissionais da psicologia é de fundamental importância investigar todas as formas de comportamentos resultantes do consumo de álcool que antecedem o suicídio, para informar a sociedade a respeito dos fatores desencadeantes do suicídio por uso do álcool.

Cada indivíduo é diferente do outro e que o álcool, assim como outras drogas, atua de modo negativo no controle, na motivação, na atitude interna e contribui materialmente para o impulso do comportamento suicida (SOLOMON e PATCH, 1975).

Os efeitos benéficos sociais do uso moderado do álcool não podem ser medidos, mas certamente não podem ser negados. Como droga psicoativa mais utilizada em todo o mundo, tem sido responsável por 50% dos casos de morte em acidentes de trânsito e causa de aproximadamente 50% dos homicídios e 25% de suicídios (SAIDEMBERG, 2001).

Para Saidemberg (2001), o álcool produz efeitos depressores sobre o sistema nervoso central, porém efeitos paradoxalmente estimulantes ou euforizantes são observáveis em alguns alcoolistas, sendo que a maioria deles sofre desaprovação social, desenvolve sérios problemas de saúde e tende a negar a dependência.

Alguns transtornos mentais encontram-se colaborando para o consumo do álcool, tais como: ansiedade; pânico; fobias; depressão e esquizofrenia e, muitas vezes, o uso do álcool serve como sedativo para inquietação, ansiedade e insônia (SAIDEMBERG, 2001).

Jellinek (apud Nardi, 2006, p.125), em 1960, definiu alcoolismo como qualquer uso de bebidas alcoólicas que causa dano ao indivíduo, à sociedade ou a ambos, classificando os alcoolistas conforme o padrão de uso da bebida.

Segundo a APA (2008), indivíduos que abusam do álcool apresentam maior probabilidade de morte por intoxicação alcoólica ou por overdose de medicamentos e outras drogas e, conforme asseveram Pirkola et al.(apud APA, 2008, p. 950) .

 

Fonte: psicologado.com

Deixe uma resposta