Pages Menu
Categories Menu

Publicado por - 10/04/2014

Sobre Gestalt Terapia

gestalTextos sobre GT

A filosofia de base utilizada pela GT é o existencialismo, põe ênfase no “homem-em-relação, na sua forma de estar no mundo, 
na radical escolha da sua existência no tempo, sem escamotear a dor, o conflito, a contradição, o impasse, o vazio, a culpa, 
a angústia, a morte, na incessante busca de se achar e de se transcender” (TELLEGEN, 1984, p. 41). Dessa forma, a perspectiva
existencial valoriza o homem em sua relação com o mundo, com as escolhas e as angústias inerentes a esta relação que é a
própria vida.

Por ser fenomenológica a GT enfatiza o “aqui e agora”, lugar onde
as possibilidades podem ser atualizadas, onde a realidade é,
realmente, possível. “O ‘aqui e agora’ é a totalidade da
experiência do indivíduo[…] ele registra, no frescor do momento,
as emoções e a solução do seu quotidiano[…] uma
responsabilidade engajada na totalidade do presente. É um
processo totalizador que colhe no imediato todas as
possibilidades do agir humano” (RIBEIRO, p. 22, 1994).
 
Conceber a realidade a partir da necessidade existencial do indivíduo, em seu   momento atual, sinaliza o que está sendo mais importante para o indivíduo, o
que está sendo percebido como primordial e, na terapia, é o elemento mais importante a ser trabalhado, esgotando-se esta possibilidade, o cliente
reconfigura seu campo e se abre a novas possibilidades de atuar no mundo.
 
 
Focalizar a própria awareness mantém a pessoa absorvida na
situação presente, ampliando o impacto da experiência na terapia,
bem como das expressões mais comuns da vida. A cada
awareness sucessiva a pessoa chega mais perto de articular os
temas da própria vida e mais perto também da expressão desses
temas (POLSTER e POLSTER, p. 217, 2001).
 
Revista IGT na Rede, v.6, nº 10, 2009, Página 56 de 57.
 

Deixe uma resposta