Pages Menu
Categories Menu

Publicado por - 7/05/2014

Por que as crianças mentem?

download

 É um tema relevante e as vezes difícil de pontuar, mas tenho percebido essa demanda em relação aos pais e professores que buscam maior conhecimento sobre essa temática, deixo esse texto para refletirmos, caso tenha alguma pergunta deixe logo abaixo para conversarmos mais sobre a criança e a mentira.

As crianças também aprendem a mentir por imitação? A mentira é um comportamento verbal, podemos identificar duas maneiras de como uma criança pode aprender a mentir. A primeira foi a aprendizagem por imitação, processo em que os pais ou outras pessoas desempenham o papel de modelo para a criança. O comportamento do adulto ou de um colega é imitado, porque a criança pode observar que o outro obtém vantagens com a mentira. Eles podem ter modelos na televisão, os atores de novelas.

Uma outra razão que pode levar uma criança a mentir é a consequência que o seu próprio comportamento produz, para  livrar-se de punições.  Uma outra possível consequência direta do comportamento de mentir é a obtenção de benefícios, de vantagens ou de prestígio.

Uma pessoa que não é valorizada pelas suas ações e que, além disso, freqüentemente, é criticada ou punida, por ser considerada incompetente porque não é capaz de realizar uma determinada tarefa, pode desenvolver o que se chama de baixa auto-estima. Auto-estima conceituada como sendo a opinião de si, isto é, o auto-conceito (tema que abordei em outro artigo) pode, portanto, estar relacionado à mentira.

Uma pessoa com uma baixa auto-estima, não confia, não tem segurança ou não valoriza aquilo que sabe fazer ou aquilo que possui e, por essa razão, pode mentir, mente, dizendo que possui coisas e bens que não são seus, sobre sua idade, sobre o que é capaz de fazer, sobre o que já fez ou foi no passado.

As crianças de forma especial mentem por medo, e talvez para chamar atenção, e por vezes os adultos já dizem: “ela está mentindo”, enfim, uma criança de cinco a sete anos pode não estar entendendo totalmente a sua atitude, vale a pena considerar o sistema familiar e outras questões que envolvem a vida cotidiana da criança.

Deixo aqui a  teoria piagentiana que considero fundamentais para a compreensão dos estágios de todo o processo evolutivo da criança:

Sensório-motora (0 – 2 anos): é uma fase em que a criança conhece o mundo através dos sentidos e reage ao mundo através de reflexos, levando tudo à boca (fase oral)

Pré-operatória (2 – 7 anos):  a criança começa a assimilar noções de tempo e a seu modo não há conserto para suas ações e o raciocínio lógico ainda não está desenvolvido.
É bastante comum a criança até os dois anos de idade morder um coleguinha, ou seja, é esperado para sua fase e não deve ser considerado como uma ação agressiva.

A criança nesta fase é egocêntrica, ou seja, imagina que o mundo gira em torno dela. Ela ainda não aprendeu a expressar em palavras os seus sentimentos e vontades e por isso usa o corpo empurrando, gritando, chorando ou mordendo como uma forma mais eficiente e rápida de conseguir o que quer .

Fonte: Veronica Hayd

 

“Toda vez que uma criança abre seu coração para mim e compartilha essa assombrosa sabedoria geralmente mantida oculta, eu sinto uma profunda reverência. As crianças com quem trabalhei talvez não saibam, mas elas me ensinaram muita coisa a respeito de mim mesma.” Violet Oaklander

 

Deixe uma resposta