Pages Menu
Categories Menu

Publicado por - 20/05/2014

Vícios: É possível vencê-los?

 

images

Olá, leitores do site apsicologiaonline.com.br,

 tenho visto que a demanda  que surge a cada dia para vencer os vícios, e a pergunta que não quer calar: é possível vencê-los?  

Quero construir um caminho de reflexão com você. Vejamos:

“Quando se fala em dependência a drogas, as pessoas, em geral, categorizam a dependência mais pelo aspecto da “dependência física”: afinal, ela mexe com o corpo. Assim, o aspecto psicológico não é muito valorizado, e é considerado menos grave. Na verdade, as coisas não são assim. O que mantém a dependência física de alguém é a dependência psicológica.”   Rosseli (2009)    

 

Relato de caso: 

Trata-se de  Maria, que solicitou ajuda para sua filha com  ideias suicida, fazia o uso abusivo  do álcool e outras drogas. Veio encaminhada por um amigo, pois já não suportava a situação. Num primeiro momento disse que sua filha não participaria do Grupo de Apoio  e muito menos dos atendimentos psicológicos, mas que ela estava disposta a fazer o que fosse necessário.

 

Num primeiro contato chamou nossa atenção o desejo que Maria tinha de fazer algo para sua filha. Assim, aconteceu um  processo  de dependência química,  pois  foi um tempo longo de permanecia  em terapia. Onde essa mãe descobriu também as suas dependências. 

 

Alguns aspectos  na história de vida de Maria : o marido bateu muito nela quando estava grávida de seu filha e dizia que não queria a filha. Em seguida houve o abandono do marido. A filha cresceu sem pai, e como mãe fez tudo que podia.  Num certo momento descobriu que sua filha usava drogas, e chegava em casa muito rebelde. A mãe ficava o dia todo no trabalho. Pensava em bater nela, e muitas vezes bateu. A mãe teve envolvimentos afetivos que a filha não aceitou.  Depois de tantos desencontros  teve coragem de falar com o seu diretor espiritual e pediu ajuda. Foi quando começou  a fazer parte do  grupo de apoio e a fazer terapia.

 

Sua filha parecia pior a cada dia, já estava perdendo as esperanças, quando resolvi cuidar de si mesma, estava cansada de tanto lutar. Até que um dia sua filha encontra um namorado, e começa a trabalhar.

 

Ao descrever o caso de forma sucinta parece que tudo foi fácil, mas foi  um processo de quatro anos. A vida de Maria, de sua  filha,  desse marido que batia nessa mulher, tanta dor envolvida, traumas que marcaram essas  vidas, que somente foi possível elaborar esse caso pela persistência de Maria, uma mulher determinada a buscar a libertação das dependências de si mesma e de sua filha.

 

“Quem é dependente de drogas traz consigo uma dezena de outras  dependências. Dependência para conseguir o dinheiro para comprar droga é apenas uma delas. Antes da dependência às drogas, podemos encontrar dependências, em geral, para as tarefas domésticas e escolares. Ou seja, estamos lidando com uma personalidade com um traço de dependência.” Rosseli (2009)

 

Deixe uma resposta