Pages Menu
Categories Menu

Publicado por - 4/01/2017

A velhice é apenas uma etapa da vida.

20160702_161133

Cinco pontos importantes para compreender essa fase.

1.A velhice não é a conclusão necessária da existência humana, ela é uma fase da existência, diferente da juventude e da maturidade, mas dotada de um equilíbrio próprio, e deixando aberta ao individuo ampla gama de possibilidades. Portanto, nessa fase é possível vivenciar momentos marcantes e focados no aqui e agora.

2. O envelhecimento é um processo universal, próprio de cada pessoa , apesar de viver situações comuns, lidam de maneiras diferentes com as mesmas. O importante é diferenciar o envelhecimento fisiológico, normal, entendendo suas particularidades e aceitando-as através da adaptação, do envelhecimento patológico que, realmente deve ser prevenido de várias maneiras. A prevenção  para esse momento da vida é  primordial, é preciso saber lidar com o desenvolvimento necessário e não o adoecimento necessário.

  1. A velhice representa uma etapa do desenvolvimento humano, cuja principal característica é a elevada perda da capacidade de adaptação e menor expectativa de vida. Cria-se com isso uma excessiva vulnerabilidade e reduzida viabilidade diante das forças normais de mortalidade. Estar velho não significa estar morto. Na doença tem vida.

Para o autor Vieira:

“A velhice é um fenômeno do processo de vida que, assim como a infância, adolescência e a maturidade, são marcadas por mudanças biopsicossociais específicas, associadas à passagem do tempo.”

  1. A velhice é uma etapa da vida como tal, apresenta efeitos específicos sobre o organismo humano. É uma fase de continuação da vida, as vezes encarada como uma fase de doenças, de teimosia e mau humor.

“É importante salientar que a velhice não é uma doença e, assim sendo, não se pode tratá-la e curá-la.Quando tratamos um idoso é porque ele está doente e não porque está velho.”

  1. A velhice é a última fase da vida caracterizada por redução da capacidade funcional, calvície e redução da capacidade de trabalho e da resistência, entre outras, como perdas dos papéis sociais, perdas psicológicas, motoras e afetivas e o surgimento da solidão como consequência. Perdas que precisam enfrentar junto com a família, não o abandono.

O ser humano não envelhece apenas biologicamente. O envelhecimento psicológico talvez seja até mais marcante para ele.

Para Jaeger:

O ser humano precisa viver bem essa fase da maturidade, deve seguir cumprindo seus objetivos básicos, bem como reinvestindo em outros, continuar buscando o seu desenvolvimento e viver com criatividade, satisfação e qualidade, pois não importa o tempo que se tem para sonhar, mas o resultado e a qualidade daquilo que se sonha.

Para MOSQUERA:

O processo de envelhecimento varia consideravelmente de pessoa para pessoa e até mesmo de classe social para classe social. A partir do momento que o indivíduo compreender e aceitar que está envelhecendo, mas que isso pode ser bom, prazeroso e plenamente satisfatório ele terá uma velhice mais tranquila e passará a encarar essa nova fase da vida como uma etapa normal.

Ao homem caberá entender que está envelhecendo dia a dia, porém não adoecendo e, talvez, a confusão seja exatamente esta: envelhecer não significa adoecer.

Fonte: ARTE-TERAPIA NA TERCEIRA IDADE: BUSCA DA FELICIDADE, PRAZER, INTEGRAÇÃO E PROMOÇÃO DA SAÚDE. LENIR DALSASSO SCHAMBECK

Deixe uma resposta