Pages Menu
Categories Menu

Publicado por - 14/03/2017

Depressão, expressão melancólica da alma.

Vários são os conceitos de Depressão.

Para Freud a melancolia é uma psiconeurose narcísica e a depressão um sintoma que pode estar presente em qualquer estrutura psíquica. Assim como a melancolia tornou-se uma patologia predominante no século XIX, a depressão tornou-se a forma de expressão do mal-estar nos dias atuais

“A depressão é, na atualidade, considerada uma desordem de humor. Uma entidade clínica única, apresentando muitas facetas e uma variedade de possíveis etiologias. O sofrimento vivenciado em decorrência de ideias autodepreciativas é muito grande. Deveríamos tentar prolongar a vida, e não terminar com ela.”

Ainda que a depressão (ou melancolia)  seja reconhecida como uma síndrome  clínica há mais de 2 mil anos, até hoje não  foi encontrada uma explicação plenamente satisfatória de suas características intrigantes e paradoxais.

“Segundo Kline,  a depressão tem causado mais sofrimento humano do que qualquer  outra das doenças que afetam a humanidade.  A condição que hoje rotulamos de depressão foi descrita por alguns autores antigos sob a categoria de “melancolia”. nada pode ser mais abominável do que a figura do melancólico remoendo seus imaginários infortúnios. Se ademais possuído de poder, e dotado de uma disposição perversa e de um coração sanguinário, a imagem torna‑se ainda mais repulsiva. ”

A depressão pode hoje ser definida :

  1. Alteração específica no humor: tristeza, solidão, apatia.
  2. Autoconceito negativo associado a autorrecriminações e autoacusações.
  3. Desejos regressivos e autopunitivos: desejos de fugir, esconder‑se ou morrer.
  4. Alterações vegetativas: anorexia, insônia, perda da libido.
  5. Alteração no nível de atividade: retardo psicomotor ou agitação.

Semântica da depressão

Uma das dificuldades de se conceituar a depressão é essencialmente semântica: o termo tem sido variavelmente aplicado para designar um determinado tipo de sentimento  ou sintoma, um complexo de sintomas (ou síndrome) e uma patologia bem definida.

Quando alguém se queixa de estar se sentindo exageradamente desanimado, desesperançado ou infeliz, o termo deprimido com frequência é usado para rotular esse  estado subjetivo. O termo depressão muitas vezes é usado para designar um complexo padrão de desvios nos sentimentos, na cognição e no comportamento não representado como um transtorno  psiquiátrico distinto. Nestes casos, a depressão é considerada uma síndrome ou complexo de sintomas.

A APA categoriza os transtornos de humor em

  1. transtornos depressivos (depressão unipolar) e
  2. transtornos bipolares.

Depressão e estados de humor normais

Alguns autores  acreditam que todos os indivíduos têm oscilações de humor e que indivíduos normais podem apresentar momentos de tristeza ou dias tristes. Esta crença tem sido respaldada por estudos sistemáticos das oscilações de humor em sujeitos normais. Os episódios de humor deprimido ou de tristeza que ocorrem nos indivíduos normais assemelham‑se, em diversos aspectos, aos estados clínicos da depressão.

Em segundo lugar, o comportamento do paciente deprimido se assemelha ao de uma pessoa que está triste ou infeliz, principalmente na expressão facial lúgubre e na voz baixa.

O tratamento é necessário para autoorganização e para uma consciência de si mesmo.

Veja esse artigo: http://apsicologiaonline.com.br/2013/11/depressao-um-mal/

Deixe uma resposta