Pages Menu
Categories Menu

Publicado por - 31/10/2017 - Dicas

Ensine seu FILHO a lidar com o MEDO DE IR DORMIR SOZINHO.

O medo é um sentimento intrínseco ao ser humano, tal como a alegria ou a desilusão, por isso é normal todas as pessoas terem medo.  Nas crianças o medo faz parte da aprendizagem, e constitui uma parte importante do seu desenvolvimento. O medo do escuro desenvolve-se normalmente a partir dos 2 ou 3 anos, mas antes dessa fase a criança já começou a construir o seu mundo através da exploração do imaginário, experienciando diversos sentimentos, incluindo o medo. Durante a noite, na hora de ir para a cama, o medo apodera-se do seu filho: primeiro porque se sente desprotegido por ter de ficar separado dos pais; 2º porque assim que as luzes se apagam tudo o que é palpável e que ele conhece desaparece, dando lugar a que criaturas estranhas saiam debaixo da cama alegremente, só para o assustar. Ensinar o seu filho a lidar com o medo durante a infância é fundamental para prepara-lo para o futuro. Se o seu filho tem medo de ir dormir sozinho, segue algumas dicas simples, que...

Leia Mais

Publicado por - 9/10/2017 - Dicas

Flexibilidade é possível?

  Ser resiliente, é um bom caminho para o autoconhecimento. Vejamos: Como podemos ser resilientes? A base da resiliência está em algumas condições psicológicas básicas: o otimismo, a autoestima, a valorização dos vínculos sociais e familiares e, principalmente, no suporte afetivo. Em outras palavras, ser alimentado com a “energia” de pessoas que acreditam em você. A negação é a pior inimiga do resiliente Negar a existência dos seus problemas não vai fazer com que eles desapareçam. Para encontrar uma saída, antes de tudo, precisamos entender e aceitar o problema. Somente após tomar esta consciência, seremos capazes de enxergar o melhor modo de superar o mal. Lembre-se: a resiliência não consiste em negar as emoções e sentimentos que são negativos, mas saber se posicionar perante eles, não permitindo que te dominem. Administração de emoções É a habilidade de se manter sereno diante de uma situação de estresse. Pessoas resilientes quanto a esse fator são capazes de utilizar as pistas que leem nas outras pessoas para reorientar o comportamento, promovendo a...

Leia Mais

Publicado por - 18/09/2017 - Dicas

Trabalho do Psicólogo

“Muitas pessoas acreditam que o psicólogo é um médico que trata da mente das pessoas, mas o tratamento psicológico é bem diferente do tratamento médico. Em um tratamento médico  existe uma definição clara do que é saudável ou não. Quando nosso corpo sofre alguma alteração e deixa de ser saudável tomamos medicamentos e seguimos as orientações para que o corpo volte a ser saudável ou para que os sintomas sejam reduzidos. Porém a mente não funciona da mesma forma que corpo; não existe uma definição rígida do que é saudável ou não quando se trata da mente. A cabeça de cada pessoa funciona de uma forma diferente; então o psicólogo vai entender como funciona a cabeça de cada paciente, para que cada mente seja saudável de uma forma própria”. Fonte:  Psicologia...

Leia Mais

Publicado por - 4/09/2017 - Textos

Resistência 

  Quem está familiarizado com os jargões psicológicos já deve ter ouvido muito a primeira palavrinha do título: resistência. Para aqueles que ainda não a conhecem, darei uma breve explicação, pois me parece que o termo já se explica por si só. A resistência seria o conjunto de fatores que dificultam o andamento do processo terapêutico. Esses fatores, em sua maioria, são inconscientes. Trocar palavras, esquecer o horário, perder as chaves do carro, e assim por diante. Mas uma boa dose deles são determinados conscientemente: marcar outros compromissos na hora da terapia, encher o tempo da sessão com conversa fiada, restringir os assuntos que podem ser falados, etc.. Para que um trabalho analítico caminhe bem, é FUNDAMENTAL que essas resistências sejam trabalhadas. Mas existe um tempo certo para isso. Mas por que as pessoas resistem tanto? Acredito que por uma certa atitude de rigidez egóica. Nós queremos que todos aqueles sintomas indesejáveis sejam arrancados de nós durante uma análise, mas não sei quantos de nós estão dispostos a mudar por...

Leia Mais